140 Canais TV

Assistir TV Online
Programação dos Canais ~>
Canal do Youtube
Facebook
Comunidade do Orkut
Twitter
Assistir TV Online HD - No Google

sábado, 31 de agosto de 2013

Um olhar sobre os desenvolvimentos na Síria em todo o mundo


O comboio de especialistas da ONU atravessar para o Líbano na fronteira libanesa ponto de Masnaa, leste do vale do Bekaa, no Líbano, sábado 31 de agosto, 2013 travessia.  Os especialistas da ONU que investigam suposto ataque de armas químicas da semana passada arredores de Damasco deixou a Síria no início do sábado e cruzou para o vizinho Líbano, horas partem depois que o presidente Barack Obama disse que ele está pesando ação "limitada e restrita" contra o regime sírio que a administração sem rodeios acusado de lançamento o ataque mortal.  (AP Photo / Hussein Malla)
.
Veja a galeria
  • .
Associated Press 
Os Estados Unidos está considerando lançar um ataque punitivo contra o regime do presidente sírio, Bashar Assad, culpou por os EUA ea oposição síria para um 21 de agosto suposto ataque de armas químicas em um bairro controlado pelos rebeldes da capital síria, Damasco. Os EUA disseram que o ataque matou 1.429 pessoas, incluindo pelo menos 426 crianças. Esses números são significativamente maiores do que o número de mortos de 355 fornecidos pelos Médicos Sem Fronteiras grupo de ajuda.
Aqui está um olhar para os desenvolvimentos na Síria chave ao redor do mundo sábado em meio a tensões mais elevadas do potencial de ação militar:
SÍRIA:
Os especialistas das Nações Unidas que investigam o suposto ataque químico deixou a Síria após a realização de quatro dias de visitas in loco. Jornalistas da Associated Press viu os funcionários da ONU entrar no Líbano da Síria através da fronteira Masnaa cruzamento e, em seguida, dirigir em um comboio de 13 carros para o aeroporto de Beirute. Mais tarde, sábado, a equipe estava voando para a cidade holandesa de Roterdão, em um avião fretado pelo governo alemão, disse que o Ministério das Relações Exteriores alemão.Transmitir sírio TV estatal imagens de treinamento soldados sírios, caças subindo no céu e tanques disparando em alvos invisíveis, para o cenário de música marcial.
PAÍSES BAIXOS:
A Organização para a Proibição de Armas Químicas, com sede em Haia, era esperado para receber o sangue especialistas das Nações Unidas e as amostras de urina colhidas de vítimas do ataque, bem como amostras de solo das áreas afetadas. As amostras serão divididas de modo que cada pode ser enviado para pelo menos dois laboratórios independentes Europeias para testes. A OPAQ declinou comentar sobre quanto tempo levaria para receber os resultados, mas especialistas dizem que o processo dura pelo menos vários dias.
ESTADOS UNIDOS:
Secretário de Defesa Chuck Hagel e outros funcionários chegaram à Casa Branca como equipe de segurança nacional de Obama preparado para breves senadores sobre a Síria. Altos funcionários planejado consultar por telefone com senadores democratas e republicanos. Secretário de Estado John Kerry, diretor da Inteligência Nacional James Clapper e conselheiro de segurança nacional de Obama, Susan Rice, também estavam programados para participar.
RÚSSIA:
O presidente Vladimir Putin pediu ao presidente Barack Obama não se apressar em qualquer decisão sobre marcante Síria, e considerar se as greves ajudaria a acabar com a violência e valer vítimas civis prováveis. Putin em um comunicado aconselhou Obama a refletir sobre os resultados de uma intervenção militar dos EUA no Afeganistão e no Iraque antes de decidir lançar ataques aéreos contra o regime de Assad.
NAÇÕES UNIDAS:
ONU desarmamento chefe Angela Kane estava programado para breve Secretário-Geral Ban Ki-moon sobre a investigação conduzida pelos peritos para o suposto ataque químico.
MAR MEDITERRÂNEO:
Cinco destroyers Marinha dos EUA estavam no mar Mediterrâneo oriental à espera da ordem para o lançamento. Os destruidores são armados com dezenas de mísseis de cruzeiro Tomahawk, que têm um alcance de cerca de 1.000 milhas náuticas (1.151 milhas, 1.852 quilômetros) e são usados ​​para objectivos precisos. Os mísseis voar em baixas altitudes, ea sua gama permite que os navios se sentar longe da costa fora do alcance de qualquer resposta possível por parte do governo sírio. Autoridades militares francesas confirmaram a fragata Chevalier Paul, especializada em recursos de anti-mísseis, bem como o desmedido navio de transporte Dixmude estavam no Mediterrâneo para a preparação e treinamento operacional, mas negou qualquer ligação com possíveis operações Síria.
FRANÇA:
Quase dois terços dos franceses se opõem a uma intervenção militar por seu país na Síria, de acordo com uma pesquisa divulgada pela agência de pesquisa BVA. O 29-30 agosto inquérito telefónico entrevistou 1.010 franceses com mais de 18 anos de idade. Constatou-se que 64 por cento são contra a participação de seu país em um possível ataque militar visando regime de Assad. A margem de erro é de mais ou menos 3 por cento
Postar um comentário