140 Canais TV

Assistir TV Online
Programação dos Canais ~>
Canal do Youtube
Facebook
Comunidade do Orkut
Twitter
Assistir TV Online HD - No Google

segunda-feira, 24 de março de 2014

Pastora impede crime em metrô com suas orações

Pastora impede crime em metrô com suas oraçõesPastora impede crime em metrô com suas orações
Um vídeo gravado pelas câmaras de segurança em um vagão do metrô de Tampa, na Flórida, tem feito sucesso nas redes sociais. Ele mostra a intervenção heroica de uma mulher que ganhou o apelido de “boa samaritana”.
Embora em desvantagem, socorreu uma jovem mãe e a filha recém-nascida diante das ameaças de um homem que tentou tirar a criança dos braços da mãe. O chefe de polícia local, Thomas Nestel, afirma que geralmente não recomenda que as pessoas reajam, mas neste caso a intervenção provavelmente salvou a vida da criança.
A passageira que se levantou para defende a menina de apenas duas semana de idade foi identificada como a pastora Tameka Bates. Mesmo sendo menor em tamanho, impede fisicamente a aproximação do homem, enquanto gritava com ele.
“Toda vez que ele avançava, eu dizia: o sangue de Jesus vai contra você. Disse para Satanás: o Senhor Deus te repreenda em nome de Jesus! Você não vai tocar nesta mulher”, testemunhou Bates ao canal 29, da FOX.
O agressor, identificado pela polícia como Steven Mason, 47 anos, foi preso na mesma noite após agredir um policial dentro da estação do metrô. O chefe Nestel afirma que o comportamento da pastora foi “fenomenal”, pois ela impediu o que podia ser um sequestro ou até mesmo um assassinato. Como agiu imediatamente, não deu tempo de algo pior acontecer, mesmo sem saber se o homem estava armado, o que requer muita coragem.
O vídeo mostra que a pastora Bates conseguiu acompanhar a mulher até ambas saírem do trem na estação seguinte.  A pastora da Igreja Resurrection Evangelistic explica que apenas fez o que deveria ser feito naquele momento.  Afinal, nenhum outro passageiro tentou ajudar. Ao ser interrogado, Mason não disse por que tentou pegar a criança. Afirmou que não conhecia a mãe do bebê nem a pastora
Postar um comentário